Termas de Caracala

Por Marcelo Albuquerque

As Termas de Caracala constituem uma das maiores ruínas de termas imperiais de Roma ainda preservadas e abertas à visitação, comparada apenas em grandeza e opulência às Termas de Diocleciano. Se situam sobre uma extremidade da colina do Aventino, no trecho inicial da Via Appia, construídas entre 212 e 216 d.C. Acredita-se que pode ter sido iniciada em 206 por Sétimo Severo, seu pai e fundador da dinastia. Sucessores, como Heliogábalo (218-222) e Alexandre Severo (222-235) continuaram sua construção e ornamentação. O complexo era abastecimento por uma ramificação do aqueduto Acqua Marcia, conhecido como Aqua Antoniniana, que cruzou a Via Appia pelo Arco de Druso (ver Aquedutos e pontes).

SAM_4350.JPG

Ruínas das Termas de Caracala, vista do exterior. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

A planta das Termas de Caracala é inspirada no modelo das Termas de Trajano no Esquilino, com um amplo desenho quadrangular abrigando toda uma infinidade de serviços, atingindo aproximadamente 400 metros de largura. No apodyterium se preservam antigos mosaicos. Importantes obras de arte foram descobertas no local durante escavações, especialmente no século XVI, como as esculturas de Farnese (o Touro, a Flora e Hércules, propriedades do Museu Arqueológico Nacional de Nápoles) e o mosaico com vinte e oito figuras de atletas, descoberto em 1824, pertencente aos Museus do Vaticano.

637px-Caracalla-Grundriss2.jpg

Planta das Termas de Caracala. Fonte: Wikipedia. https://fr.wikipedia.org/wiki/Thermes_de_Caracalla. Acesso em: 12 set. 2016.

Continue a leitura adquirindo o livro ou e-book completo.

Arco de Septímio Severo

Por Marcelo Albuquerque

Do império de Sétimo Severo, destaca-se o Arco de Sétimo Severo, no Fórum Romano. O arco, do ano 203, é ricamente ornamentado, com colunas independentes nas fachadas. Possui um grande arco central ladeado por dois menores. Os arcos laterais se comunicam com o arco central através de outras duas passagens arqueadas. Foi concebido para celebrar suas vitórias junto aos seus filhos Geta e Caracala sobre os Partas, na Mesopotâmia e Pérsia, entre 195 e 198. As composições dos painéis remetem à Coluna de Trajano, no que se refere à narrativa de conquistas militares, além das alegorias imperiais dos rios da Terra, das estações do ano e das Vitórias aladas.  É o arco romano mais antigo a possuir colunas livres nas fachadas, diferentemente do Arco de Tito, que possui meias-colunas agregas à fachada. Como de costume, acima do ático haviam os grupos de carros e estátuas de bronze imperiais. Conforme a tradição iconográfica, um lado do arco apresenta o tema da paz, enquanto o outro apresenta o tema da guerra.

SAM_1501.JPG

Arco de Sétimo Severo, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Fachada leste Arco de Sétimo Severo, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Painéis do Arco de Sétimo Severo, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Chave de arco, Vitórias e arcada do Arco de Sétimo Severo, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Detalhe do capitel compósito e painéis do Arco de Sétimo Severo, Roma. Foto: Marcelo Albuquerque, 2015.

Continue a leitura adquirindo o livro ou e-book completo.